O melhor e o pior de 2012 [lista definitiva]

Houve uma overdose de listas do que foi melhor e pior no ano em 2012. Resolvi fazer uma definitiva, para acabar com todas as discussões do universo.

Melhor filme – Tomboy (ou A Menina que Queria ser Menino, se você comprou no camelô)

Pior filme – Era uma vez eu, Verônica

Melhor animação – ParaNorman

Pior animação – Brave

Hype mais injusto no cinema – Intocáveis (só dizer “merci beaucop” pro povo não ver um monte de clichê empilhado?)

Troféu caça-níquel – The Amazing Spider-Man. Menção honrosa: O Hobbit sendo feito como trilogia.

Melhor música – Cherokee, da Cat Power

Pior música – Tatto, do Van Halen

Melhor música brasileira – Funk Melódico, do Caetano Veloso

Pior música brasileira – Esse cara sou eu, do Roberto Carlos

Melhor clipe – Somebody that I used to know, do Gotye

Pior clipe – Call Me Maybe, da Carly Rae Jepsen [gosto da música]

Melhor álbum – Shields, do Grizzly Bear.

Pior álbum – Kisses on the bottom, do Paul McCartney

Decepção musical do ano – Coexist, do The XX

Surpresa musical do ano – An Awesome Wave, do Alt-J

Melhor game – Angry Birds Star Wars [não constato isso com orgulho].

Pior game – qualquer um que fique mandando notificações para os amigos no Facebook. Exceto o Song Pop, que é legal.

Melhor restaurante – Bra.do (Cecilia escreveu sobre ele no En San Pablo no hay playa)

Pior restaurante – Iracema

Melhor restaurante de comida mineira na Rua Barão de Tatui – Dona Elisa

Pior café – Frans Café de Higienópolis

Melhor café – Glacê (outro que a Cecilia escreveu no blog dela)

Pior cardápio – Frangó (é grandão, mas eles não tem 90% das cervejas que estão lá expostas)

Melhor cardápio – Deep Bar (os caras têm tudo do cardápio parrudo)

Melhor tele-entrega – Sujinho (Matias Burger + Batatas portuguesas. Agradeça-me depois)

Pior tele-entrega – qualquer uma feita pelo iFood

Hype mais nada a ver com comida – A volta do Lolo, o chocolate da vaquinha. Essa onda retrô já deu o que tinha que dar, né?

Melhor livro – Iconografia Paulistana

Pior livro – Monitoramento e Métricas de Mídias Sociais: do Estagiário ao CEO (Sim, eu li 50 tons de Cinza. Outra hora comento uma ou outra coisa boa que ele tem).

O melhor em quadrinhos – Macanudo 9, de Liniers

O pior em quadrinhos – Tirinhas do Maurício de Souza no Estadão.

Melhor Fan Page – Site dos Menes (Thiago falou deles aqui)

Pior Fan Page – Gina Indelicada

Melhor perfil de Twitter – @Nopoliceman

Pior perfil do Twitter – Esses que têm frases de cantores

Melhores aplicativos – Instagram e Evernote

Pior aplicativo – Maps do iOS 6

Melhor smartphone – iPhone da Gradiente (melhor custo benefício e ainda ganha de lambuja todo o marketing da Apple).

Pior smartphone – iPhone 5 da Apple (caro demais e a Gradiente deixou bem mais barato dizer “eu tenho um iPhone”).

Melhor espetáculo de dança – Claraboia

Pior espetáculo de dança – Baraka

Melhor show – Emicida e Criolo

Pior show – Bolivianos que fazem playback perto da estação da Lapa

Pior programa de TV – último capítulo de Avenida Brasil

Melhor programa de de TV – Inauguração da Arena do Grêmio.

Melhor exposição – Jasper Johns, no Tomie Othake 

Pior exposição – Miguel Rio Branco, no Santander Cultural de Porto Alegre

Melhor destino turístico – Parque Inhotim

Pior destino turístico – Belo Horizonte em segunda-feira de carnaval

Melhor peça de teatro – Eclipse

Pior peça de teatro – Amor e Ponto 

Melhor meme – Nissim Ourfali

Pior meme – Mendigato de Curitiba

CONTEÚDO DE:
arte, tecnologia

Comentar Pelo Facebook

3 respostas a O melhor e o pior de 2012 [lista definitiva]

  1. Pingback: Evernote reseta senhas dos usuários | Trilhos Urbanos

  2. Pingback: O que vi em janeiro | Trilhos Urbanos

  3. Pingback: Material extra do curso Publique Livros, Crie Editoras (2) | Trilhos Urbanos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>